logo

Em Live, Acipa e CDL cobram flexibilização responsável: “fechar o comércio não é remédio e não pode durar pra sempre”

publicado em:21/05/20 12:04 PM por: ascomacipa Notícias

Presidentes das entidades afirmaram que só o comércio está sofrendo penalização da Prefeitura mesmo estando há quase 70 dias fechados enquanto o poder público se preparava pra enfrentar a pandemia; Acipa reitera que colaborou com ações solidárias de doação de EPIs e cestas – mais 500 máscaras foram doadas esta semana – , mas precisa de soluções para manter empregos

O diálogo entre o presidente da Associação Comercial de Palmas (Acipa), Joseph Madeira e o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Palmas (CDL), Silvan Portilho estabelecido com a comunidade durante live nesta quinta-feira, 21, tomou um tom mais duro em busca da flexibilização gradativa do comércio na capital.
Para ambas entidades apenas o comércio está sendo sacrificado, quando, não há transparência nas ações da Prefeitura no combate à covid-19.

Para o presidente da Acipa a Prefeitura não considerou as necessidades dos comerciantes que seguem cumprindo exigências sem nenhuma perspectiva de retorno das atividades. “O gestor público deve trabalhar pela população, e o empresário não tem sido visto, até aqui, como parte integrante desse grupo. A crítica não está direcionada a nenhum personagem, ela se destina ao desempenho. Não há diálogo, nem participação”, argumenta. Segundo ele, a Acipa ficou de fora de todos planejamentos feitos pelo Comitê de Crise que não possui técnicos de cada setor da sociedade.

“Parar o comércio não é remédio para a Covid-19”
O presidente da CDL foi incisivo ao dizer que, após quase 70 dias, a responsabilidade de superação da pandemia tem sido depositada exclusivamente no fechamento do comércio. “Estamos parados. Nós fizemos o que foi pedido, estamos há dias sem salário e com agonia constante. O que estamos tentando explicar para as pessoas é que existem dois lados, paramos por todo esse tempo para o poder público se organizar, e depois disso? Os mercados estão funcionando, quem sair, até para as atividades essenciais, estará vulnerável. Como os governantes estão se preparando?” questiona o presidente da CDL.

Doação de 500 máscaras – Entidades, empresários e profissionais liberais seguem contribuindo com a comunidade da maneira como podem para preencher as lacunas. Nesta semana, a Acipa fez uma doação de 500 máscaras de proteção, em agradecimento ao empenho dos profissionais da saúde na condução de suas atividades durante o período de pandemia. A doação feita ao Coren-TO foi viabilizada pela Força Tarefa Tocantins Corona. Empresária associada, enfermeira, e importante conexão da ação, Paloma Menezes, compartilha a importância da colaboração ao avaliar que “a proteção dos profissionais que atuam na da linha de frente é fundamental, sem eles não há assistência. Cuidando deles, estamos investindo em saúde no sentido amplo”, completa.





Comentários



Adicionar Comentário




quatro × 3 =